Bem vindo a Camda

Matriz - Adamantina/SP

Rua Chujiro Matsuda, nº 25 - Vila Endo

Telefone:

(18) 3502-3000

HOME
A EMPRESA
ESTRUTURA
LOJAS
POSTOS DE EMBALAGEM
MINERCAMDA
CATÁLOGO
PROJETOS
INFORMATIVO
RELATÓRIO ANUAL
NOTA FISCAL
CLASSIFICADOS
COTAÇÕES E MERCADO
DOWNLOADS
NOTÍCIAS
SEJA COOPERADO
ÁREA DO COOPERADO
TRABALHE CONOSCO
FALE CONOSCO
CONTATOS
Notícias


Atualizado em 10-07-2019

Reprodução: estação de monta

O objetivo principal da estação de monta é aumentar a eficiência reprodutiva. O segredo dessa condição está na palavra sincronismo. O que a estação de monta pretende é sincronizar o período de maior requerimento nutricional da vaca, que é o período de lactação. Com isso podem-se conseguir melhores índices reprodutivos.
O método de monta mais utilizado no Brasil Central é aquele em que o touro permanece com o rebanho durante o ano todo. A maior desvantagem, entretanto, que limita a utilização da monta durante todo o ano, diz respeito à dificuldade do controle zootécnico e sanitário do rebanho, devido à falta de uniformidade (idade e peso) dos animais. Estes fatores acabam por prejudicar a seleção dos bovinos de maior potencial reprodutivo, em detrimento da fertilidade do rebanho.
A estação de monta é uma das primeiras medidas de manejo a ser implantada em uma fazenda quando se quer melhorar a eficiência reprodutiva. Como no sistema de criação extensivo de bovinos de corte, a fertilidade do rebanho apresenta variações vinculadas às condições climáticas, o estabelecimento de uma estação de monta limitada é uma decisão importante e de grande impacto na fertilidade. Em última análise, lotes uniformes de bezerros proporcionam facilidade na comercialização dos animais, ou para a recria na própria fazenda.
Nas Regiões Centro – Oeste e Sudeste, a época da estação de monta (EM) natural, não controlada, concentra-se entre os meses de outubro a fevereiro, Coincidindo com o período de maior digestibilidade de pastagem. Em consequência ocorre o nascimento de junho a outubro e a desmama de abril a maio. O período de monta adotado pelos criadores é variável, mas geralmente, entre os meses de março e abril os touros não permanecem com as vacas. Qualquer que seja o manejo da EM, o período de outubro a janeiro é o de maior consenso entre os criadores, quanto a permanência dos touros junto as vacas. Entretanto, trabalhando em clima temperado no segundo semestre, especialmente nos meses de outubro e novembro, nascem mais bezerros que em qualquer outra época do ano, e estes são desmamados geralmente em pastos secos.
A escolha da estação de monta depende de diversos fatores, tais como, condições climáticas, disponibilidade de pastagens, mão de obra, época adequada para o nascimento dos bezerros e finalidade da produção, isto é, animais puros ou comerciais. Partindo desses fatos, é muito mais fácil trabalhar a favor da natureza a implantação de uma estação de monta na propriedade, tem por objetivo racionalizar a atividade reprodutiva tanto no aspecto biológico como prático.
Definida a implantação da estação de monta nas propriedades rurais, é necessária seguir alguns pontos, dentre eles:
- Avaliar a condição corporal das matrizes e o estado sanitário do rebanho: as vacas que parem em boa condição corporal e no início da estação de nascimento não necessitam de nenhum manejo especial. Entretanto, aquelas que o fazem mais tardiamente dentro da estação não terão tempo de exibir cio fértil antes da retirada dos touros e certamente serão as futuras vacas falhas. As fêmeas devem estar livres de doenças, sem a presença de ectoparasitos e endoparasitos.
- Organizar a estação de monta ao genótipo dos reprodutores: importante avaliar a adaptação do reprodutor as condições regionais, principalmente temperatura e umidade nas raças taurinas. Os touros não adaptados ao trópico também sofrem queda de desempenho, baixa condição corporal, baixo libido e baixo poder de fertilidade. Qualquer que seja a estação de monta adotada, os pastos que irão receber os bezerros desmamados, devem apresentar-se os mais próximos da sede, com pasto de boa qualidade com maiores taxas de proteína, digestibilidade e água à vontade.
Após a realização de exame andrológico e identificação dos touros inférteis ou doentes, realiza o descarte e aquisição de novos touros, pelo menos quarenta dias antes do início da EM, tempo suficiente para a adaptação dos touros.
Recomenda o entoure das fêmeas entre novembro/ dezembro e janeiro / fevereiro (90 dias). Produtores que, porventura, mantenham os touros na vacada durante todo o ano devem instituir uma estação de monta de seis meses, de outubro a março. Sua redução deve ser gradativa, para que não haja prejuízo na produção de bezerros. Já no segundo ano, ela pode cair para quatro meses (novembro a fevereiro) e depois partir definitivamente para três meses.
Os testes de diagnóstico para brucelose, campilobacteriose e tricomonose devem ser eleitos como os principais no controle das doenças que podem influenciar na capacidade reprodutiva dos touros, mas, também, devem ser lembradas outras doenças importantes, como as causadas por vírus: rinotraqueíte infecciosa bovina (IBR) e diarréia bovina a vírus (BVD), o controle dessas doenças deve ser sistemático e orientado por um técnico, pois a convivência com as mesmas durante a estação de monta prejudica diretamente o desfrute do rebanho, resultando em um número maior de vacas com retorno ao cio, processos de aborto, nascimento de bezerros com porte inferior e um maior número de bezerros nascidos no final da época de parição.
As vacas que vão para a estação de reprodução devem apresentar boa condição corporal, estar ciclando (apresentando cio) normalmente e livres de doenças que comprometam a fertilidade.
Na maioria das doenças da esfera reprodutiva, o sinal mais frequente é a repetição de cio e, bem menos observado, o aborto, em consequência do tamanho dos pastos e do sistema de manejo extensivo. É importante lembrar que as vacas que vão para a estação de reprodução já devem ter sido vacinadas contra brucelose conforme recomendação. Os machos não devem ser vacinados Desta forma, deve-se ter todo o cuidado necessário para se proteger desta doença, principalmente durante a vacinação e o manejo com os animais recém-paridos.
Qualquer dúvida e informações, procure uma loja Camda mais próxima que os médicos veterinários do Programa Reproducamda poderão assessorar da melhor forma possivel, elevando os lucros da pecuária de sua propriedade. (crédito foto: cpt.com.br)
 
 

Luiz Henrique Felipe

Técnico Reproducamda



Últimas notícias


HOME  |   A EMPRESA   |   LOJAS   |   POSTO DE EMBALAGEM   |   MINERCAMDA   |   CATÁLOGO   |   EVENTOS   |   PROJETOS   |   INFORMATIVO   |  RELATÓRIO ANUAL
NOTA FISCAL   |   CLASSIFICADOS   |   COTAÇÕES E MERCADO   |   DOWNLOADS   |   NOTÍCIAS   |   SEJA COOPERADO   |   TRABALHE CONOSCO  |   FALE CONOSCO

Copyright © 2012 Cooperativa Camda  |   Desenvolvido por Evolução Web