Bem vindo a Camda

Matriz - Adamantina/SP

Rua Chujiro Matsuda, nº 25 - Vila Endo

Telefone:

(18) 3502-3000

HOME
A EMPRESA
ESTRUTURA
LOJAS
POSTOS DE EMBALAGEM
MINERCAMDA
CATÁLOGO
PROJETOS
INFORMATIVO
RELATÓRIO ANUAL
NOTA FISCAL
CLASSIFICADOS
COTAÇÕES E MERCADO
DOWNLOADS
NOTÍCIAS
SEJA COOPERADO
TRABALHE CONOSCO
FALE CONOSCO
CONTATOS
Notícias


Atualizado em 21-06-2018

Embalagens vazias de defensivos agrícolas: o que fazer?

 
O Brasil é recordista mundial no recolhimento de embalagens de agrotóxicos. Segundo o inpEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias) nos últimos 10 anos o percentual de embalagens plásticas colocadas no mercado que são recolhidas pela indústria após o uso do produto nas lavouras atingiu 96%.
 
 
inpEV
É uma entidade sem fins lucrativos criada por fabricantes de defensivos agrícolas com o objetivo de promover a correta destinação das embalagens vazias de seus produtos.
Foi fundado em dezembro de 2001 e entrou em funcionamento em março de 2002. Sua criação atende às determinações da Lei federal nº 9.974/00, que estabeleceu os princípios para o manejo e a destinação ambientalmente correta das embalagens vazias de defensivos agrícolas a partir de responsabilidades compartilhadas entre todos os agentes da produção agrícola – agricultores, canais de distribuição e cooperativas, indústria e poder público.
Com a mobilização constante e o engajamento de cada um desses agentes e da sociedade em geral, o inpEV ajudou a tornar o Brasil uma referência mundial em logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas. Por ação do Sistema Campo Limpo, cerca de 94% das embalagens plásticas primárias (que entram em contato direto com o produto) e 80% do total das embalagens de produtos comercializados anualmente recebem a correta destinação pós-consumo. Nenhum país do mundo registra uma cobertura tão ampla.
 
Atribuições legais
A criação do inpEV, como núcleo de inteligência do Sistema Campo Limpo, possibilitou integrar os diferentes elos e orientar o ciclo das embalagens pós-consumo desde o campo até a destinação final.
O processo ajuda a conectar agricultores de todo o país e 5 mil canais de distribuição e cooperativas a uma rede de mais de 400 unidades de recebimento, localizadas em 25 Estados brasileiros e no Distrito Federal. As unidades respeitam normas técnicas e seu funcionamento depende do licenciamento do poder público. A maior parte delas é gerenciada por associações de revendedores, e há algumas unidades próprias do Instituto. É o inpEV que encaminha o material recebido nas unidades a sua destinação final (reciclagem ou incineração).
O poder público, nas esferas municipal, estadual e federal, fiscaliza o cumprimento das atribuições legais de cada elo da cadeia e compartilha com os canais de distribuição e com a indústria fabricante a responsabilidade de atuar na educação e conscientização periódica dos agricultores sobre a importância de participarem da logística reversa.
 
Postos próprios Camda
Com a promulgação da referida lei já citada - que responsabiliza todo o elo envolvido na produção, comercialização, fiscalização e utilização de defensivos agrícolas (fabricantes, revendedores/cooperativas, poder público e produtores rurais) - a Camda então decidiu construir um posto para o recebimento das embalagens vazias de defensivos agrícolas para que seus cooperados pudessem devolvê-las tríplice lavadas, cumprindo a lei em vigor.
Para a abertura desta unidade, a cooperativa contou com a concessão de um espaço por parte da Prefeitura de Adamantina, numa área de 1.154,25 m² tendo 117,52 m² de área construída, localizada na estrada 15, adm 181, no bairro Alto da Boa Vista em Adamantina. A unidade foi inaugurada no dia 30 de abril de 2003 e sua capacidade de recebimento é de 120 toneladas/ano de embalagens. Todos os funcionários envolvidos receberam o indispensável treinamento, tudo de acordo com a legislação vigente.
O posto de embalagens vazias de defensivos agrícolas da Camda atende os cooperados todas as segundas-feiras das 8h as 11h e das 13h30 as 17h.
Constatando a necessidade de um local onde os cooperados de Penápolis e região também pudessem cumprir a legislação vigente e devolver as embalagens vazias de agrotóxicos, a Camda com aprovação da Central de Recebimento de Bilac e de órgãos competentes tomou a iniciativa de construir outra unidade de recebimento no município de Penápolis próxima à unidade da cooperativa, utilizando terreno e recursos próprios para construção e manutenção do local, com apoio do inpEV. A unidade foi inaugurada no dia 5 de agosto de 2005 com uma área de 74,23 m².
 
Convênios
Para dar suporte aos demais cooperados no cumprimento da lei, a Camda fez parcerias com os postos de recebimento já existentes nas cidades de Araguari-MG, Bilac-SP, Cambé-PR, Campo Grande-MS, Centralina-MG, Cornélio Procópio-MG, Dourados-MS, Frutal-MG, Iturama-MG, Mirandópolis-SP, Monte Carmelo-MG, Naviraí-MS, Palmeira D’Oeste-SP, Paraguaçu Paulista-SP, Quirinópolis-GO, Santa Cruz do Rio Pardo-SP, Santo Antônio da Platina-PR, São Gabriel do Oeste-MS, São José do Rio Preto-SP, São Manuel-SP, Tangará da Serra-MT, Três Lagoas-MS e Votuporanga-SP.
 
 


Últimas notícias


HOME  |   A EMPRESA   |   LOJAS   |   POSTO DE EMBALAGEM   |   MINERCAMDA   |   CATÁLOGO   |   EVENTOS   |   PROJETOS   |   INFORMATIVO   |  RELATÓRIO ANUAL
NOTA FISCAL   |   CLASSIFICADOS   |   COTAÇÕES E MERCADO   |   DOWNLOADS   |   NOTÍCIAS   |   SEJA COOPERADO   |   TRABALHE CONOSCO  |   FALE CONOSCO

Copyright © 2012 Cooperativa Camda  |   Desenvolvido por Evolução Web